(31) 3288-4104
(31) 3288-4104

Responsabilidade social: Poros inicia apoio ao Instituto O Grito

Você sabia que o Brasil possui mais favelas do que bibliotecas públicas? Esse dado macro é acompanhado de outros índices que chamam a atenção para a desigualdade social que atinge as diferentes regiões do País. Temos cerca de 15 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, 25 milhões de jovens fora da escola e a terceira maior população carcerária do Planeta, num contexto de violência pública que mata mais do que a guerra na Síria, sendo que, para cada 100 jovens mortos, 71 são negros.

Em 2011, a necessidade de mudança social levou à criação do projeto Gerando Falcões, uma organização social que reúne empresários e atua em periferias e favelas a partir do investimento em líderes sociais que possam impactar as comunidades onde vivem por meio da educação, da tecnologia e da renda. Sua atuação é ampliada por meio de parcerias com ONGs e associações regionais. Em Belo Horizonte (MG), uniu-se ao Instituto O Grito, criado em 2016 por Léo Martins (leia mais sobre sua história abaixo).

A Poros Construtora, consciente de sua responsabilidade social, tornou-se apoiadora da entidade. Ao fazer a sua parte, a empresa ajuda a viabilizar importantes transformações com reflexos positivos na vida de milhares de pessoas.

Mais sobre o Gerando Falcões

Com o apoio de grandes instituições, como a Fundação Lemann e a EMS, o projeto tem oito unidades atuando em cerca de 30 favelas no Brasil. As iniciativas são focadas em esporte e cultura para crianças e adolescentes e na qualificação profissional para jovens e adultos, sendo um motor de geração de renda para famílias, inclusive membros egressos do sistema penitenciário. O Gerando Falcões tem um modelo de gestão inspirado nos mecanismos de administração da Ambev, com metas, indicadores de performance, rituais de gestão, plano de carreira e gratificação para os colaboradores. A rede do projeto desenvolve habilidades em jovens e crianças para aumentar as chances de sucesso no futuro e, assim, romper o bloqueio social.

Sobre o Instituto O Grito

A entidade foi criada por Léo Martins, em 2016. Desde então, desenvolveu 14 projetos que beneficiaram cerca de 7,5 mil pessoas. Casado, pai de duas filhas, Léo nasceu em um lar simples no município de Salinas, localizado no Norte de Minas Gerais. Sua trajetória de vida é marcada pela determinação e pela superação, além de um sentimento de indignação diante das diferenças sociais. O Instituto O Grito nasce, então, com o intuito de oferecer uma nova perspectiva de vida para pessoas em situação de vulnerabilidade social. “Talvez eu não consiga acabar com a dor do mundo, mas vou fazer de tudo para diminuí-la”, afirma Léo Martins.